foto: Gilberto Pereira
- publicidade -

Final Day. Final Round.

Logo agora que estávamos todos em velocidade de cruzeiro o evento galopa para o encerramento. Ao navegar pelo mar de gente que vagueia pelos espaços de exposição sente-se uma espécie de tensão no ar. Existe uma azáfama que se sobrepõe a tudo o que se passa à nossa volta. As startups presentes agarram-se aos participantes como se estes fossem a última fatia de pão que irá largar umas migalhas de apoio ao seu projeto. Os grandes stands iniciam vagarosamente o empacotamento dos excedentes de 4 dias de visitas, conversas e discursos ensaiados. A vantagem de tudo isto é que estes discursos ensaiados saem de forma cada vez mais natural. Mas as coisas são assim, tudo o que começa também acaba, e a Web Summit não é diferente.

Até o meu dia arrancou mais cedo. Do hotel até ao espaço da Web Summit são uns largos minutos de Metro. Que se tornam ainda mais insuportáveis por ser hora de ponta e por ter que carregar todas as malas com que cheguei no primeiro dia. Pronto, não são assim tantas. Na realidade é apenas a mala e a mochila. Mas não deixa de ser incómodo carregar tudo! Junte-se a isto o facto de vários participantes e convidados da Web Summit estarem a passar pelo mesmo… estão a ver a cena. O Metro de Lisboa precisava de duas carruagens só para transportar bagagem. Pelo menos.

O palco central empacotou pequenas talks de 30 minutos, que abordaram temas relacionados com o futuro da robótica, a anunciada nova vaga de gigantes tecnológicos, e até houve espaço para (confesso que espicaçou imenso a minha curiosidade) ouvir o principal conselheiro de Donald Trump, para a tecnologia e políticas tecnológicas. Sim, o homem cor-de-laranja que não sabe o que é um touch screen tem um conselheiro tecnológico na Casa Branca. Vocês também ficavam curiosos, não?

O futuro da tecnologia também passou pelo crivo de opinião da Comissária Europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager – podem rever a conferência de imprensa na página de facebook do Global News, se tiverem perdido o direto durante a tarde – antes de nos dirigirmos ao palco central para a sessão de encerramento ainda tivemos tempo de assistir a uma demonstração da Boston Dynamics, que trouxe à Web Summit o seu cão robot! Vejam aqui o vídeo do cão robot a divertir-se no meio dos participantes.

À hora marcada, lá iniciou a sessão de encerramento com Paddy Cosgrave e depois o Sr. Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. As voltas que tive de dar até ao Media Center e depois no acesso ao Palco Central levou-me a conseguir apenas ouvir parte do discurso de Marcelo Rebelo de Sousa, que podem também ouvir na página de Facebook do Global News.

Em cima do palco, Marcelo Rebelo de Sousa lançou o repto “somos imparáveis”, para gáudio de toda a plateia. Num estilo bastante próprio e com absoluto à vontade em palco, o Presidente da República, discursando unicamente em inglês, fez questão de lançar elogios à organização, aos voluntários, aos investidores, aos criadores e pensadores dos projetos apresentados durante estes 4 dias de evento, destacando que os portugueses, como anfitriões da Web Summit, “anteciparam o futuro”, contribuindo para que Portugal, e Lisboa, se tornassem num ponto geográfico chave, para o desenvolvimento tecnológico mundial. Marcelo Rebelo de Sousa fez ainda questão de alertar para necessidade de regras mais fortes e para a necessidade de maior atenção ao mundo que nos rodeia:

“Não podemos deixar nada para trás. Nenhuma região do mundo, nenhum país, nenhuma parte da sociedade ou as gerações mais antigas. Temos de nos unir”.

Marcelo Rebelo de Sousa (Web Summit, 2019)

Na conferência de imprensa improvisada, à saída da Altice Arena, Marcelo reforçou a mensagem que deixou lá dentro. abordou a polémica que tem sido criada em torno do voluntariado que existe na Web Summit, admitindo que no lugar dos jovens que trabalham de forma voluntária no evento se sujeitaria às mesmas condições. Prometeu marcar presença no próximo ano, mas não sabe em que condição. Lançou o desafio à modernização e à evolução tecnológica da democracia. Destacou os ganhos para a economia nacional que este evento proporciona. Não deixou também de falar sobre a necessidade de mais humanidade nas pessoas, falando do sem abrigo que quando vasculhava no lixo, por algo que lhe desse sustento, encontrou um bebé e lhe salvou a vida. Podem também assistir às palavras de Marcelo Rebelo de Sousa no Canal Global TV.

O pré-registo para a edição da Web Summit 2020 já se encontra disponível e pelo caminho, até novembro do próximo ano, podem sempre seguir a sugestão que foi sendo dada ao longo de todo o Web Summit e participar no Collision, em Toronto, já em Maio do próximo ano. Pelo menos as pessoas que gastaram 700,00 Euros em t-shirts, este ano, deverão conseguir marcar presença, juntamente com a jovem que encontrou bilhetes debaixo da cadeira, no evento de abertura.

De minha parte, resta-me agradecer à Web Summit e ao Global News, por me proporcionarem esta experiência única, de acompanhamento e cobertura jornalística do evento. Uma experiência que, se depender de mim, será para repetir, com toda a certeza. Espero que tenham gostado de ler este diário e tenham acompanhado os nossos diretos e entrevistas. Obrigado a todos e até breve.

- publicidade -