InícioCulturaMeute transformam Coliseu do Porto numa imensa pista de dança

Meute transformam Coliseu do Porto numa imensa pista de dança

Published on

Os alemães Meute são uma daquelas bandas que ao vivo não falha, a festa é garantida, com sonoridades que vão da autêntica poesia sonora ao techno. E o Porto foi, mais uma vez, prova viva disso.

Dançar é obrigatório porque a secção rítmica não dá descanso e o raio do xilofone parece entrar na corrente sanguínea de quem ouve, tornando os corpos verdadeiras bolas pinchonas. É impossível ficar indiferente. Depois, a secção de metais faz o resto e instala o bailarico.

No Coliseu do Porto, onde subiram a palco no dia 10 de Maio, a predisposição do público era total. Depois tudo ganhou contornos de festa rapidamente, porque a interacção dos 11 músicos (qual equipa de futebol repleta de avançados) com o público é constante e a empatia da plateia é imediata e total. Aliás, houve alguns momentos de… alguma histeria. Nada de transcendente, mas houve.

O colectivo germânico misturou os temas do novo álbum, «Taumel», editado em 2022, com algumas das suas verdadeiras pérolas musicais, mas não se notou grandes oscilações na dinâmica do concerto, a não ser na mais ou menos efusiva reacção da plateia, consoante os temas fossem mais conhecidos ou mais recentes.

O concerto desenrola-se entre as construções do conjunto e os diferentes solos em que todos os músicos acabam por ser protagonistas.

A actuação na cidade Invicta arrancou com «Nostalgia drive», do mais recente álbum, que deu logo o mote do que seria a noite, logo (as)segurada com os bem conhecidos e mexidos «Slip» e «Holy Harbour».

Mais uma música do novo álbum, no caso «Peace», depois ouviu-se «Acamar» e o Coliseu ficou ao rubro quando os Meute apresentaram «Hey hey», dos poucos temas da banda com voz, e que o público presente cantou o refrão em uníssono, em jeito de catarse.

A esta altura o Coliseu do Porto já era uma imensa pista de dança… e a banda não dava descanso! Pena apenas o ressoar do som no fundo da sala, que em alguns momentos se tornou incomodativo.

Entre constantes crescendos rítmicos e frequentes investidas dos metais, a animação voltou a estar em alta com a versão do tema dos Disclosure (feat. Eliza Doolittle), que voltou a arrebatar a plateia. Mais dois temas de «Taumel», desta feita «Slow Loris» e «Infinite», entremeados por «Araya».

E porque de uma “techno marching band” se trata, os Meute protagonizaram um solo a seis mãos, um momento único e especial, para toda a banda prosseguir com o intenso e deslumbrante «What else is there». Seguiu-se «Kerberos» e «Ticino», a última a ouvir-se do novo álbum.

O regresso ao palco deu-se com o mais recente tema dos Meute, «Sail», editado já este ano, a que se seguiu o inebriante «Think twice», com o remate a ser feito com o explosivo «Rej», que acabou com o concerto e por deixar o público com água na boca. Ah, aquele xilofone saltitante!

Pouco mais de uma hora profundamente revigorante, de constante apelo à dança e que, de certa forma, lavou a alma. Soberbo, apesar de não ter sido a melhor prestação que este vosso escriba já assistiu deles.

últimos artigos

Magnus Andersson volta ao andebol do FC Porto

O treinador sueco de 58 anos foi apresentado na manhã desta quinta-feira como técnico...

A grande entrevista aos Maquina.

O Global News esteve à conversa com a Maquina. no dia em que atuaram...

Espectáculo Pulp e concerto The National encerram em grande o Primavera Sound Porto 2024

Encerrou em grande a 12ª edição do Primavera Sound Porto e nem a chuva...

Palco Vodafone sem sinal deixa festivaleiros injustiçados no Primavera Sound Porto

O segundo dia do Primavera Sound Porto, provavelmente o mais fofinho dos três dias...

mais artigos

Magnus Andersson volta ao andebol do FC Porto

O treinador sueco de 58 anos foi apresentado na manhã desta quinta-feira como técnico...

A grande entrevista aos Maquina.

O Global News esteve à conversa com a Maquina. no dia em que atuaram...

Espectáculo Pulp e concerto The National encerram em grande o Primavera Sound Porto 2024

Encerrou em grande a 12ª edição do Primavera Sound Porto e nem a chuva...