InícioCulturaPalco Vodafone sem sinal deixa festivaleiros injustiçados no Primavera Sound Porto

Palco Vodafone sem sinal deixa festivaleiros injustiçados no Primavera Sound Porto

Published on

O segundo dia do Primavera Sound Porto, provavelmente o mais fofinho dos três dias (esperemos que sim!), ficou indelevelmente marcado pelo encerramento do Palco Vodafone, “por problemas técnicos” e por “questões de segurança”, disse, laconicamente, a organização.

A verdade é que a dúvida sobre se, após o anunciado cancelamento do concerto dos Mutu (depois transferido para o Palco Vodafone, que encerrou), haveria mais concertos naquele palco, pairou demasiado tempo até à notícia, via redes sociais, chegar e que uma grande maioria dos presentes no recinto não queria ouvir: o cancelamento da actuação dos franceses Justice!

Primavera Sound Porto. Créditos: Global News Portugal

Pelos vistos problemas com a estrutura do palco para aguentar com o material da dupla francesa. Especulação? Provavelmente, mas nenhuma explicação foi avançada! No entanto, o que nos foi possível observar, foi o que pareceu.

De resto, o segundo dia do festival, musicalmente, não teve grandes destaques, mas algumas performances que merecem realce.

Máquina. Créditos: Global News Portugal

Logo a começar o dia, os lisboeta Máquina levaram a sua agitação até ao Palco Super Bock, num concerto que começou com pouca gente, mas a plateia foi crescendo paulatinamente até ao momento em que o Primavera Sound Porto foi… Primavera Sound Porto. Isto é, Primavera que é Primavera tem clima esquizofrénico e não perdoa uma boa chuvada. Foi isso que aconteceu, sensivelmente, a meio do concerto dos Máquina, com o céu a parecer desabar em forma de água, levando a uma rápida redução da plateia rumo às árvores que ladeam o palco.

Ainda assim, face ao horário do concerto (16h35), o aguaceiro que caiu sobre o Palco Super Bock acabou por emprestar alguma da mística que os concertos dos Máquina habitualmente têm e que ali não estava tão presente.

Felizmente, o aguaceiro foi filho único e até ao final da noite S. Pedro deu tréguas aos festivaleiros e a chuva não mais deu as caras pelo Parque da Cidade.

Primavera Sound Porto. Créditos: Global News Portugal

Com o cancelamento dos concertos do Palco Vodafone e com a lotação esgotada, os demais palcos tiveram uma maior afluência de público. Entretanto, e desde que as portas abriram, independentemente da chuva, as e os fãs de Lana del Rey, na maioria jovens muito jovens, tomavam posições na plateia do Palco Porto para conseguirem o melhor lugar para ver a diva.

De salientar, no entanto, neste dia em que nada encheu as medidas a este vosso escriba, os concertos dos britânicos The Last Dinner Party, no Palco Porto, mas que, ainda assim, revelaram alguma falta de maturidade, e dos norte-americanos Crumb e o seu shoegaze fofinho.

Lambchop. Créditos: Global News Portugal

Nota especial para o acto Lambchop, no Palco Super Bock, um momento algo incompreendido, mas de uma solenidade e excelência marcante, aliás, como Kurt Wagner já habituou os seus seguidores.

Arrasador e agitador foi o concerto dos australianos Tropical Fuck Storm, o momento punk do segundo dia do festival e que animou muitos dos desiludidos do dia.

Depois, bem, depois seguiu um espectáculo de variedades, com muitas bailarinas e dança em palco, varões, projecções e afins, tendo como protagonista Lana del Rey.

Lana Del Rey. Créditos: Hugo Lima

A cantora norte-americana tem uma voz maravilhosa, mas nem tudo o que canta bem… encanta! O espectáculo é vistoso, a interacção com o público entusiasma os fãs, mas o registo romântico-melancólico da esmagadora maioria dos temas torna a coisa monótona e meia sonsa. Ainda assim, os fãs saíram encantados e lá têm as suas razões!!!

Falta um dia e espera-se que não haja mais surpresas desagradáveis como cancelamentos e chuva!

Primavera Sound Porto. Créditos: Global News Portugal
Máquina. Créditos: Global News Portugal
Máquina. Créditos: Global News Portugal
Máquina. Créditos: Global News Portugal
Lambchop. Créditos: Global News Portugal
Lambchop. Créditos: Global News Portugal
The Last Dinner Party. Créditos: Global News Portugal
The Last Dinner Party. Créditos: Global News Portugal
The Last Dinner Party. Créditos: Global News Portugal
The Last Dinner Party. Créditos: Global News Portugal
Tropical Fuck Storm. Créditos: Global News Portugal
Tropical Fuck Storm. Créditos: Global News Portugal
Tropical Fuck Storm. Créditos: Global News Portugal
Tropical Fuck Storm. Créditos: Global News Portugal
Wolf Eyes. Créditos: Global News Portugal
Primavera Sound Porto. Créditos: Global News Portugal

últimos artigos

Magnus Andersson volta ao andebol do FC Porto

O treinador sueco de 58 anos foi apresentado na manhã desta quinta-feira como técnico...

A grande entrevista aos Maquina.

O Global News esteve à conversa com a Maquina. no dia em que atuaram...

Espectáculo Pulp e concerto The National encerram em grande o Primavera Sound Porto 2024

Encerrou em grande a 12ª edição do Primavera Sound Porto e nem a chuva...

PJ Harvey dá recital de beleza imensa no arranque do Primavera Sound Porto

Arrancou em grande, no Parque da Cidade, a 12ª edição do Primavera Sound Porto...

mais artigos

Magnus Andersson volta ao andebol do FC Porto

O treinador sueco de 58 anos foi apresentado na manhã desta quinta-feira como técnico...

A grande entrevista aos Maquina.

O Global News esteve à conversa com a Maquina. no dia em que atuaram...

Espectáculo Pulp e concerto The National encerram em grande o Primavera Sound Porto 2024

Encerrou em grande a 12ª edição do Primavera Sound Porto e nem a chuva...