InícioSociedadePrograma Municipal «Gaia Cuidador» reforça valências

Programa Municipal «Gaia Cuidador» reforça valências

Published on

Em 2021, a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia foi inovadora e criou o Programa Municipal «Gaia Cuidador» uma vez que o programa nacional aplicado aos trinta municípios não incluía o concelho. Mesmo depois do alargamento do estatuto do Cuidador Informal, por parte da Segurança Social, a todo o território nacional, a autarquia optou por manter a sua política de apoio, nos mesmos moldes. Novos desafios se colocam e o programa será, agora, reforçado com novas valências, que serão discutidas na próxima reunião do executivo municipal (segunda-feira, 22 de janeiro, 16 horas, Auditório Manuel Menezes de Figueiredo).

Com a reformulação do «Gaia Cuidador» serão mantidas as medidas anteriormente adotadas, mas também implementadas novas, como a criação de uma equipa multidisciplinar e da Pausa do Cuidador. Manter-se-ão os grupos psicoeducativos, as atividades do Gaia A’Cuidar-te e a atribuição do apoio económico.

A equipa multidisciplinar irá incluir especialistas de várias áreas, como médico, enfermeiro, psicólogo, fisioterapeuta e terapeuta ocupacional, com intervenção no domicílio dos cuidadores, com o objetivo de realizar rastreios de saúde e apoiar na organização da medicação; prestar apoio psicológico; criar uma linha telefónica para apoio emocional e esclarecimento de dúvidas ao cuidador; fomentar a realização de atividades de estimulação física e cognitiva para os cuidadores no domicílio, com exemplos de exercícios práticos para o dia a dia; informar sobre principais estratégias que facilitem o dia a dia, quer no ato de cuidar como a nível emocional; avaliar a necessidade e a possibilidade de realização de pequenas alterações de melhoria do espaço envolvente do ato de cuidar, para facilitar a prestação de cuidados e contribuir para a melhoria da qualidade de vida do cuidador. A criação desta equipa multidisciplinar irá implicar o estabelecimento de parcerias com outras entidades.

Por outro lado, é pretendido fomentar momentos de pausa e descanso ao cuidador, mediante a constituição de uma equipa para substituição regular do cuidador, com o objetivo de permitir a sua saída durante uma parte do dia para a realização de tarefas. Esta saída será possível graças à presença de um dos técnicos da equipa multidisciplinar, sendo que, numa fase posterior, pretende-se criar uma bolsa de voluntários (com formação e sensibilização para este tipo de intervenção) que possa permanecer algumas horas com a pessoa cuidada. Esta situação requer tempo e disponibilidade do cuidador para o estabelecimento de uma relação de confiança e proximidade com o voluntário, sendo que esta transição será garantida pela equipa multidisciplinar até à autonomização do voluntário.

Além dos apoios pecuniários, os cuidadores integram ainda grupos de psicoeducativos que dinamizam sessões em diversas áreas (social, psicologia, saúde, entre outras), com o objetivo de partilhar saberes e desafios, acompanhar e encaminhar para respostas adequadas, entre outros. Com o término destes grupos, pretende-se que surjam grupos de ajuda mútua, mantendo-se a dinâmica e o contacto próximo de e entre cuidadores.

Além de tudo isto, nos últimos dois anos, foi possível apurar o interesse dos cuidadores por atividades diferenciadas e de participação livre, fomentando a importância da promoção de espaços de convívio, interação e lazer e dando tempo para pensarem em si, para relaxamento, diversão e interação com outros cuidadores. Pretende-se, assim, manter estas atividades regulares ajustadas ao interesse de cada um (Gaia A’Cuidar-te), reconhecendo, dignificando e apoiando o seu papel enquanto cuidador.

De realçar ainda que o «Gaia Cuidador» envolve a atribuição de um apoio económico aos cuidadores informais, dentro de dois principais valores, pagos trimestralmente: 220 euros no caso dos cuidadores informais principais e 120 euros no caso dos cuidadores informais não principais. Esta prestação, atribuída por um período sucessivo, e renovada automaticamente, pode ser acumulada com qualquer outro apoio social ou rendimento do cuidador informal. Ao longo deste período, o processo será reavaliado pelos serviços municipais.

Além da ajuda financeira, o programa disponibiliza orientação técnica, através da realização de sessões de informação e esclarecimento para o desenvolvimento dos cuidados a prestar; encaminhamento para as redes de suporte; implementação de medidas que promovam a conciliação entre a vida pessoal e a prestação de cuidados (como, por exemplo, o acesso gratuito aos equipamentos municipais) e acompanhamento técnico de proximidade. Desde 2021, ano da criação deste programa, e até agosto de 2023 foram apoiados 529 cuidadores informais, num investimento municipal total de cerca de 540 mil euros.

últimos artigos

Câmara do Porto veda edifício para evitar aumento de insegurança

A Câmara do Porto vedou, esta terça-feira, o antigo edifício da Direção de Recrutamento...

Mais oito nomes fecham o cartaz do SonicBlast Fest’24 para os dias 8, 9 e 10 de Agosto

O SonicBlast Fest anunciou os últimos oito nomes para o cartaz da 12.ª edição...

Obra da Linha Rubi (H) a todo o vapor [com imagens]

A Metro do Porto divulgou esta quarta-feira imagens da obra que vai fazer nascer...

Autocarro do FC Porto com nova imagem [com fotos]

O FC Porto mostrou como ficou o autocarro da equipa sénior de futebol com...

mais artigos

Câmara do Porto veda edifício para evitar aumento de insegurança

A Câmara do Porto vedou, esta terça-feira, o antigo edifício da Direção de Recrutamento...

Mais oito nomes fecham o cartaz do SonicBlast Fest’24 para os dias 8, 9 e 10 de Agosto

O SonicBlast Fest anunciou os últimos oito nomes para o cartaz da 12.ª edição...

Obra da Linha Rubi (H) a todo o vapor [com imagens]

A Metro do Porto divulgou esta quarta-feira imagens da obra que vai fazer nascer...