Simão Do Vale Africano serve Pirandello em dose tripla no Teatro Carlos Alberto

Luigi Pirandello, um dos criadores teatrais italianos (siciliano, mais particularmente) cuja abordagem foi um balão de oxigénio para a arte de estar em cena, é evocado por Simão Do Vale Africano num triângulo de sugestões que assumem a forma de um ‘3 em 1’ intitulado Trattoria Pirandello. Assim, O Homem com a Flor na Boca + Sonho (ou talvez não) + Cecè podem ser vistos até ao dia 25 de Novembro no Teatro Carlos Alberto, no Porto.

©Susana Neves

O Global News assistiu a um dos ensaios e conversou com o encenador e actor, que passou uma temporada alongada em território transalpino e aproveitou para estudar a obra de Pirandello e de outros dramaturgos. “O menu desta tripla escolha das obras não possui nada de mais complexo que o único facto de serem boas” começa por dizer, de forma descontraída, Simão Do Vale Africano. E reforça a ideia inicial e simples: “São três peças fantásticas, pequenos tratados, pequenos estilos sem nenhuma pretensão política”, acrescenta.

A vida em si mesma, com os seus circunstancialismos e constrangimentos, com a sua dose de encanto e também de desconcertante estão em palco através de “O Homem com a Flor na Boca”, que nos remete para um diálogo e uma consequente introspecção poética da condição humana feita à mesa de um café: a história de um homem que se diz desprovido de prazer e por isso se dispõe e dedica a contemplar a vida dos outros.

Sonho (ou talvez não) conduz-nos à consciência de uma mulher no devir de um conflito amoroso: um momento em que as interrogações e o questionamento da personagem feminina estão em plena conformidade com uma aposta cenográfica de estética apurada no domínio dos sonhos.

©Susana Neves

Cecè, por seu turno, é um daqueles episódios que convoca a temática do compadrio e da corrupção, temas de uma profunda actualidade, com sátira à mistura e humor subtil, um dos apanágios da obra de Pirandello.

Percebe-se, através de um simples ensaio, que o desafio de Simão Do Vale Africano para além do de ser encenador, actor e tradutor neste vértice cénico e dramatúrgico, seja a forma de trabalhar as cenas com os intérpretes. “O que mais me fascina na obra de Pirandello é a construção dos personagens.” E sim, concordamos que isso se percebe “nos treinos”, resta ao espectador apreciar o resultado final quando “o jogo” vai para o palco.

Ficha Técnica

O Homem com a Flor na Boca + Sonho (ou talvez não) + Cecè de Luigi Pirandello

Encenação e tradução Simão Do Vale Africano

Cenografia Bruno Capucho

Figurinos – Bernardo Monteiro

Desenho de som e sonoplastia – Joel Azevedo

Desenho de luz – Rui M Simão

Assistência de encenação – Diogo Freitas Interpretação – Joana Africano, Jorge Mota, Simão Do Vale Africano coprodução Subcutâneo, TNSJ

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments