DR

São nove os municípios entre Caminha e Espinho, numa extenção de 122 quilómetros, que vão ser abrangidos pelo ordenamento do novo plano da orla costeira da Agência do Ambiente (APA). A justificação está relacionada com a exposição de vários edifícios a fenómenos extremos, o risco de erosão e de inundações, avança esta quarta-feira o Jornal de Notícias.

O Edifício Transparente (propriedade da Câmara do Porto), construído em frente ao mar, na Praia Internacional, no Porto, por altura da Capital Europeia da Cultura, em 2001, com um custo de 7,5 milhões de euros, é um dos edifícios escolhidos para demolição. Ainda na cidade do Porto, a proposta prevê a demolição do restaurante Pizza Hut Foz e da discoteca Kasa da Praia.

No total são 34 edifícios na orla costeira entre Caminha e Espinho. Está também prevista a retirada de centenas de habitações que foram construídas nas dunas. A maior parte de restauração e centenas de casas de 14 núcleos habitacionais, dos quais sete de origem piscatória e que serão alvo de intervenção.

O miradouro das Caxinas, em Vila do Conde ou a Esplanada do Carvalhido, na Póvoa de Varzim, são outros edifícios que a APA tem na sua lista para demolição.

Este novo plano vai a consulta pública a partir de segunda-feira.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments