IN SPIRITUM. O festival que nos conduz num roteiro musical pelo património do Porto começa esta quinta-feira

Começa hoje, quinta-feira e decorre até 19 de maio, o IN SPIRITUM 2019 – Festival de Música do Porto, que prossegue, nesta quinta edição, a sua missão de criar um roteiro musical pelo património, fazendo convergir a música com os lugares, em estilo e em tempo. Criado para valorizar o património do centro histórico do Porto – que foi classificado pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade em 1996 -, este festival tem criado pontes com outras cidades. Depois de, em 2017, ter promovido um concerto ligado à memória dos vinhos do Douro em Vila Nova de Gaia, estende-se nesta edição a Matosinhos, com um concerto de harpa no Terminal de Cruzeiros do porto de Leixões.

O programa deste ano, contudo, continuará a centrar-se na harmonização entre a riqueza monumental tão singular do centro histórico portuense – que remonta às épocas romana, medieval, renascentista, barroca e neoclássica – e um repertório musical pensado para cada um dos espaços onde se realizam os concertos.

Este ano o festival vai fazer acontecer momentos únicos em lugares como o Salão Árabe do Palácio da Bolsa, o Museu Romântico da Quinta da Macieirinha, a Casa do Infante e a Igreja de São João Novo. Para tocar e cantar músicas que se relacionam de alguma forma com cada um desses espaços – seja ao nível histórico, estético ou de tradição artística – o festival reuniu um grupo de talentos consagrados em estilos musicais antigos e/ou clássicos, entre eles alguns jovens músicos portugueses (e três deles naturais até da região do Porto) que trabalham e estudam fora do país, com uma carreira já consagrada.

Entre os artistas, contam-se, então, os portugueses Ricardo Leitão Pedro que irá evocar, na Casa do Infante, o entretenimento da corte na primeira metade do século XVI, em plena expansão portuguesa. Com a viola e a voz, o músico vai interpretar fantasias (peças instrumentais) e tesouros do cancioneiro português renascentista. Ao Teatro Helena Sá e Costa, o pianista Raúl da Costa levará um repertório de música de câmara e, no Museu Romântico, o pianista David Santos e o barítono André Baleiro promoverão viagem pelos caminhos do romantismo, com a canção alemã e francesa no século XIX.

Outro concerto acontecerá na igreja de São João Novo, onde a talha dourada e os azulejos de Bartolomeu Antunes, datados de 1741, vão servir de cenário à interpretação de Stabat Mater do compositor italiano Giovanni Battista Pergolesi, que a escreveu poucos anos antes, nos seus últimos dias de vida, em 1735. Na belíssima igreja, atuarão a Orquestra Bomtempo, a soprano Carolina Figueiredo e a soprano Patrycja Gabriel, com direcção do maestro Cesário Costa – que é também o director artístico do IN SPIRITUM. E no Terminal de Cruzeiros do porto de Leixões, uma obra de arquitectura contemporânea a marcar o horizonte de Matosinhos, vai soar a harpa de Carolina Coimbra.

A abertura do festival, todavia, está entregue à marroquina Iman Kandoussi, que cantará melodias que vão desde a Andaluzia à Argélia, evocando tradições e cantares, folclores e viagens entre o Oriente e o Mediterrâneo. Acompanhada por três músicos, que trarão instrumentos como o alaúde e o rabel, vai tornar muito especial o ambiente no Salão Árabe do Palácio da Bolsa.

A intenção deste festival-roteiro que harmoniza a música com os lugares é sensibilizar e atrair o público em geral para a apreciação de um espectáculo erudito, por um lado, e para a beleza do património, por outro. No final, espera-se que a música seja pretexto e instrumento para criar no público uma forma diferente, mais rica e vibrante, de fruição e contemplação de cada espaço. Foi esse o balanço das anteriores quatro edições, já que desde 2014 que o IN SPIRITUM – Festival de Música do Porto tem vindo a consagrar-se como um evento muito especial na cidade e único no país.

O IN SPIRITUM 2019 é uma co-produção ACIS – Associação Cultural IN SPIRITUM e a Câmara Municipal do Porto, com direcção artística do maestro Cesário Costa que tem vindo a distinguir-se como um dos mais ativos maestros portugueses da sua geração. Tem dirigido muitas formações portuguesas e estrangeiras, com um repertório que se estende do barroco ao contemporâneo, sendo ainda professor e programador musical em várias instituições.

Os bilhetes estão à venda na rede ticket line, o preço de cada concerto é de 12,50€.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments