Tinta Permanente: Irritaram a Greta. Irritaram-se com a Greta

- publicidade -
Tinta Permanente: Irritaram a Greta. Irritaram-se com a Greta | Luís Henrique Pereira, jornalista Não encontro nela culpa alguma. Para já não encontro nela culpa alguma e já procurei. Não sei se por detrás da Greta há c Global News Portugal
Luís Henrique Pereira, jornalista

Não encontro nela culpa alguma. Para já não encontro nela culpa alguma e já procurei. Não sei se por detrás da Greta há culpados desconhecidos. Até serem encontrados (se tal vier a acontecer) vamos julgar em abstinência de juízo. A adolescente viu, chegou e indignou. Indignou os que acreditam que esta coisa das alterações climáticas é uma treta da Greta e não uma questão levantada por uma Greta sueca em forma de “voz do mundo”. A Greta chateou-se nas Nações Unidas, depois de se ter chateado com o mundo. Decidiu faltar às aulas e manifestar-se a solo encostada a uma parede e com um cartaz em conformidade.

Esta Greta tem seguidores? Sim. Muitos. Mais do que muitos. E será que esta Greta tem críticos? Sim muitos. Mais do muitos. O que faz correr Greta? E o que faz correr atrás da Greta milhões de adolescentes e jovens, na sua maioria, que até conseguem ter argumento prestável? Alguns nem todos. Nem sei se a maior parte. A causa? As causas? Assim parece.

E nós, os crescidos? Em que pé estamos nós os crescidinhos? Estamos numa era que eleva um “paradigma comunicacional novo” muitas vezes à estaca do mais pobre dos sentidos. As chamadas redes sociais, enredam muitos seguidores em pensamentos e palavras escritas e ditas que manifestam-se apenas só por se querem manifestar e da pior forma. Criticar severamente e com substância falível ou nada fiável. Nunca em tão pouco tempo se disse tão mal de tanta gente ao mesmo tempo e em tempo real. Da Greta também. Até se associa a Greta aos “ismos”. Mas porquê e para quê? Não sei, por tal não posso responder e muito menos teorizar.

Tinta Permanente: Irritaram a Greta. Irritaram-se com a Greta | Luís Henrique Pereira, jornalista Não encontro nela culpa alguma. Para já não encontro nela culpa alguma e já procurei. Não sei se por detrás da Greta há c Global News Portugal
Greta Thunberg during speach at the Climat march in katowice, Poland. créditos: Diogo Baptista/GN

O que a Greta quer para já é que a coisa mude. O que a Greta quer para já (assim parece) é que mudem os que mandam nesta casa que é comum e está a “apodrecer” aos poucos, está a definhar, está a “fatigar-se” aos poucos de si mesma em si mesma. O que a Greta parece querer na sua “birra” nas Nações (des) Unidas, é que se levantem mais vozes como a dela, mas ao mais alto nível. Pelo menos é o que parece.

A viagem de barco que levou a Greta a Nova Iorque, também ela, foi alvo de chacota firme. Dizem os “chacoteiros” que a Greta viajou num barco que, quando não anda com a ajuda de painéis solares, anda a gasóleo. E mais, e muito mais se usou para criticar a Greta.

O que é preciso saber em bom rigor é se o que a Greta fez e anda a fazer vai conseguir empurrar uma mudança neste “estado natural das coisas”. A despreocupação miserável, em grande escala, pelo estado a que levamos o planeta Terra. Mudar a psique, a mente, o pensamento e os pensamentos, as atitudes dos que acham que a Greta tem tudo menos alguma razão. Pelo menos alguma terá. Tem de ter por prova matemática e científica.

Tinta Permanente: Irritaram a Greta. Irritaram-se com a Greta | Luís Henrique Pereira, jornalista Não encontro nela culpa alguma. Para já não encontro nela culpa alguma e já procurei. Não sei se por detrás da Greta há c Global News Portugal
DR

Mas atenção! Se um dia se vier a saber que esta Greta tem outros objetivos e/ou aspirações há que acabar com a Greta. Há que acabar com os alegados mentores e/ou inventores desta Greta que, a partir dessa altura, deixará de servir o planeta e deixará de se servir do mundo e dos seus habitantes.

Uma aparição como a da Greta, com a dimensão que lhe foi detetada é coisa rara. O que não é coisa rara é o reverso da medalha confirmado pela História (pesquisa do conhecimento/conhecimento). Há os que assim nascem, crescem e se tornam em vilões. Mas calma! A Greta não é vilã. Pelo menos até à data não conseguiu ser vilã.

Creio que ainda é cedo para afogar a Greta. Ainda é cedo para purificar a Greta nas labaredas da fogueira. Ainda é cedo. Mas se lá chegarmos (já tarde) quero por força ser dos primeiros a elevar a Greta ao então merecido estatuto de enganadora compulsiva. Correlegionária manipuladora. Mal intencionada. Demónio. Bicho mau. Surucucu. Para já não! Seria errado! Seria imprudente! Seria apedrejar de forma impensada e por tal, inconsequente, a Greta. Agora, é fundamental que esta Greta seja “julgada” pela História. Isso é fundamental. A História recente e a outra. Uma Greta “Julgada” pelo que quer ainda fazer, mas principalmente pelo que já fez. O tempo será também aqui esse “grande escultor”. A ver vamos o que te espera Greta. A ver vamos aonde chega a Greta na era dos “assertivos polígrafos”.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.