Quase não dá para acreditar, mas o Brasil empatou pela primeira vez com o Panamá a uma bola. O golo solitário de Paquetá não chegou para levar de vencido o adversário.

Como se diz por cá, a bola é redonda e no futebol tudo é possível. E o jogo deste sábado foi isso mesmo. O Brasil, que contou com Alex Telles e Éder Militão a jogarem em “casa”, tinha tudo para vencer. O estádio do Dragão estava pintado com as cores da equipa brasileira e tinha apenas uma pincelada de panamenses. Mesmo assim não chegou para vencer.

É certo que a partida era amigável, mas de amigável teve muito pouco. O Panamá não veio ao Dragão para ser o “bombo da festa” e jogou com muita concentração.

Temos que sublinhar que foi a primeira vez que o Brasil não venceu o Panamá. Mas também temos que destacar que a “canarinha” sofreu pela primeira vez um golo do Panamá.

Lucas Paquetá festeja o único golo do Brasil. Créditos: Diogo Baptista/GN

A resistência do Panamá durou apenas 32 minutos. Nesse momento Lucas Paquetá, médio ofensivo que alinha no AC Milan, abriu o marcador, com uma finalização apertada na esquerda, com uma assistência de Casimiro.

Tudo parecia bem encaminhado para o Brasil, que controlava o jogo, sem deslumbrar. Nada disso, passados quatro minutos o Panamá empata com um grande golo, fruto de uma boa jogada! Adolfo Machado fez história e marcou o primeiro golo do Panamá ao Brasil. No coração da área, dá uma cabeçada certeira ao ângulo superior esquerdo. Eric Davis, de bola parada, foi quem assistiu. Estava feito o empate e era o desalento para a “torcida” do país irmão.

Adolfo Machado voa para o empate, com um lance fortíssimo de cabeça. Créditos: Diogo Baptista/GN

A segunda parte veio com muitas substituições, várias bolas ao ferro, controle do jogo por parte do Brasil, mas… de pratico não deu em nada. Mas quem podia ter marcado mesmo ao cair do pano foi o Panamá. José Fajardo Nelson finaliza de pé direito e leva a bola à malha lateral. Era o verdadeiro escândalo se entrava.

O árbitro apita para o final da partida e a “torcida” brasileira faz ouvir vaias em todo o estádio. Por falar em “torcida” brasileira, a mesma só se ouvir dizer “Brasil” aos 76 minutos. Muito pouco, para além do “buaaaaaaa” que se ouvia quando a equipa criava perigo na baliza contrária.

Adeptos do Brasil fizeram ouvir assobios no final da partida. Créditos: Diogo Baptista/GN

O estádio do Dragão recebeu muito bem o amigável que teve 39410 espetadores nas bancadas.

Equipas
Brasil: Ederson; Fágner, Militão, Miranda e Alex Telles; Casemiro, Arthur (Felipe Anderson), Lucas Paquetá (Éverton), Philippe Coutinho e Richarlison; Roberto Firmino (Gabriel Jesus) Técnico: Tite

Panamá: Mejia, Machado, Cummings e Escobar; Murillo (Blackman), Cooper (Walker), Godoy (Vargas) e Davis; Quintero (Browne), Torres (Fajardo) e Rodrígues (Arroyo) Técnico: Julio Dely Valdés

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments