- publicidade -

Foi o último dia em ‘Couraíso’ e o público aproveitou ao máximo o paraíso fluvial que vai deixar de ter após o final do festival. Houve momentos relaxantes na relva ao som dos West Coast Man e dos Palankalama no palco de jazz.

Último dia do Paredes de Coura contado ao pormenor com Patti Smith e Suede a brilharem | Foi o último dia em 'Couraíso' e o público aproveitou ao máximo o paraíso fluvial que vai deixar de ter após o final do festival. Houve momentos relaxantes Global News Portugal
Diogo Baptista / Global News

A performance dramatizada da cantautora americana Mitski foi expressiva e chamou a atenção do público.Ela começou sentada atrás de uma secretária de madeira, utilizando uma expressão de um poker na cara, que embora parecesse emocionalmente distante, deu vida à letra da sua canção. Estóica e séria sem esboçar um sorriso, a multidão foi levada pelo drama da sua atuação. Mitski fez danças instrumentais, usando as mãos de forma expressiva e executando sequências de ginástica na mesa de madeira. Quebrando como que uma desconexão emocional que parecia ter, começou ai o concerto. Saltando por todo o palco e batendo a cabeça enquanto dançava sobre a mesa, cantava “I am not gonna be what my daddy wants me to be” [eu não vou ser o que o meu pai quer que eu seja], com intensidade tal que parecia que o público também seguia o seu sentimento, cantando até músicas como “Nobody” e “Your Best American Girl”.

Último dia do Paredes de Coura contado ao pormenor com Patti Smith e Suede a brilharem | Foi o último dia em 'Couraíso' e o público aproveitou ao máximo o paraíso fluvial que vai deixar de ter após o final do festival. Houve momentos relaxantes Global News Portugal
Diogo Baptista / Global News

Hipnóticos e atmosféricos, os portugueses Sensible Soccers foram fantásticos no palco vodafone.fm. Mostraram um concerto cativante como se tivessem músicas para o subconsciente, levando os seus fãs numa jornada musical através da sua própria imaginação. O seu terceiro álbum, Aurora (2019), é vibrante e temperamental, mas ao mesmo tempo é muito divertido dança-lo.

Último dia do Paredes de Coura contado ao pormenor com Patti Smith e Suede a brilharem | Foi o último dia em 'Couraíso' e o público aproveitou ao máximo o paraíso fluvial que vai deixar de ter após o final do festival. Houve momentos relaxantes Global News Portugal
Diogo Baptista / Global News

A icónica Patti Smith foi a atração principal na última noite em Paredes de Coura. E que espetáculo! A sua banda fundiu rock, poesia e ativismo foi pura emoção. Abriram com “People Have The Power”, cumprimentando de seguida o público dizendo “não se esqueçam de usar a vossa voz”. A multidão explodiu com um enorme aplauso. Tocaram também uma cover de “Are You Experienced?” de Jimi Hendrix e de seguida “Ghost Dance”, apelidando-a de ser uma “música de união”.

“União é o que precisamos neste mundo. Não de nacionalismo, mas de união!”. A letra “We shall live again, we shall live again / Peace to your brother; give and take peace” evocou um sentimento de harmonia e solidariedade. O concerto teve também covers de Neil Young, “Walk on the Side”, de Lou Reed e “Beds are Burning”, canção de protesto de 87, dos Midnight Oil.

As músicas mais suaves e acústicas foram dedicadas àqueles “que perdemos, mas mantemos vivos nos nossos corações e na nossa memória”. A multidão transformou-se num mar de luzes andando de um lado para o outro. Excitante foi também a o tema “Because the Night”. “Esta é uma música que foi escrita para uma amiga, Sonic Smith”. Esta foi a dedicatória de uma das suas canções mais conhecida, escrita com Bruce Sprinsteen, para o seu falecido marido Fred “Sonic” Smith. Patti Smith, sempre poetiza e ativista, ela gritou apaixonadamente mensagens de união e liberdade, por entre solos de guitarra que levaram emoção aos presentes. Chegou ao ponto de ficar rouca de tanto gritar para fazer passar a palavra, como por exemplo, mensagens anti-Trump. O concerto da banda foi simplesmente incrível! E a mensagem foi passada claramente: união, paz e amor.

Último dia do Paredes de Coura contado ao pormenor com Patti Smith e Suede a brilharem | Foi o último dia em 'Couraíso' e o público aproveitou ao máximo o paraíso fluvial que vai deixar de ter após o final do festival. Houve momentos relaxantes Global News Portugal
Diogo Baptista / Global News

O rapper californiano Freddie Gibbs, atuou no palco principal, acompanhado pelo produtor Madlib, tendo apresentado o seu último álbum, Bandana, lançado eu junho deste ano. O concerto foi explosivo, com batidas duras, baixo desorientado e letras provocantes, tiveram uma reação fantástica da multidão.

Último dia do Paredes de Coura contado ao pormenor com Patti Smith e Suede a brilharem | Foi o último dia em 'Couraíso' e o público aproveitou ao máximo o paraíso fluvial que vai deixar de ter após o final do festival. Houve momentos relaxantes Global News Portugal
Diogo Baptista / Global News

Os Suede tiveram a missão de fechar o palco principal. O vocalista Brett Anderson deu tudo, saltando das colunas e rastejando pelo palco. Apenas com duas músicas tocadas e já estava completamente encharcado de suor, até porque esteve sempre a balançar com o microfone. Tudo somado, deu um espetaculo eletrizante. O vocalista esteve sempre comprometido com o público. Abriram o concerto com temas como “Outsiders” e “Life is Golden”, os Suede estavam a todo o gás. Terminaram a atuação com “Beautiful Ones”. Anderson disse ao público que aquele seria o último concerto do verão e “provavelmente o seu favorito”. A paixão da banda em tocar ao vivo era evidente o que tornou o concerto muito divertido de ver.

Último dia do Paredes de Coura contado ao pormenor com Patti Smith e Suede a brilharem | Foi o último dia em 'Couraíso' e o público aproveitou ao máximo o paraíso fluvial que vai deixar de ter após o final do festival. Houve momentos relaxantes Global News Portugal
Diogo Baptista / Global News

A festa ainda não tinha terminado, porque haveria “after-hours” com o rapper londrino Flohio e o DJ Jayda G com “Significant Changes”, cuja energia foi contagiante.

Último dia do Paredes de Coura contado ao pormenor com Patti Smith e Suede a brilharem | Foi o último dia em 'Couraíso' e o público aproveitou ao máximo o paraíso fluvial que vai deixar de ter após o final do festival. Houve momentos relaxantes Global News Portugal
Diogo Baptista / Global News

E assim acabou mais um Vodafone Paredes de Coura. Nesta edição, a praia do rio Taboão recebeu mais de 26 mil pessoas por dia (mais de 100 mil em quatro dias). O público acorreu a Paredes de Coura para ver os cabeças de cartaz The Nacional, New Order, John Father Misty e Patti Smith. E também aproveitaram o paraíso ribeirinho do dia anterior ao início do arranque do festival. Para quem quis, pôde assistir a sessões diárias descontraídas em locais improváveis, como um sanatório ou um Centro de Educação e Interpretação Ambiental, com o Vodafone Music Sessions. As bandas que encerraram o Music Sessions foram os Boogarins, Avi Buffalo, Capitão Fausto e Time for T. A edição do próximo ano está confirmada entre os dias 19 e 22 de agosto.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.