- publicidade -

Os périplos dos espectáculos “Amar Amália” e do músico Djavan têm marcadas no GPS musical algumas coordenadas mais a Norte. O músico brasileiro vem apresentar o mais recente trabalho, “Vesúvio”, cuja apresentação em estreia nacional decorreu já na passada quarta-feira, no Estoril. Hoje, sexta-feira, dia 8 de Novembro, enquanto Djavan assenta arraiais no Campo Pequeno, em Lisboa, o projecto “Amar Amália” parte à conquista do Multiusos de Guimarães e estará também no Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, vulgo Palácio de Cristal, no próximo dia 16 de Novembro, sábado. Djavan, por seu turno estará na Invicta antes desta data, numa apresentação marcada para amanhã, dia 9, no Coliseu.

Amália é, sem dúvida, a diva mais carismática do fado e homenageá-la nunca é uma redundância, por isso, o espectáculo “Amar Amália – 20 Anos de Saudade” cuja direcção artística está a cargo de Diogo Clemente e Tiago Pais Dias, mobiliza um naipe de convidados de nomeada que se situam na órbita desta tipologia musical popular e urbana e que está no sangue e na alma lusa. Para este mesmo efeito, a itinerância consagra para as diversas récitas uma participação vasta e qualitativa que conta com Simone de Oliveira, Áurea, Dulce Pontes, Cuca Roseta, Amor Electro, Jorge Palma, Paulo de Carvalho e Marco Rodrigues. Um leque de artistas com o qual se pretende homenagear a excelsa fadista, contribuindo deste modo também para cativar os praticantes emergentes do fado, os novos valores, para uma maior aproximação e reconhecimento do repertório de Amália Rodrigues, reinventando-o através de novas versões, tal como farão os músicos e cantores convidados.

Jorge veloso, responsável e promotor da Vibes & Beats, sustenta esta opção pelas salas e espaços escolhidos para a realização porque “Acima de tudo, a primeira ideia para o Amar Amália passava por apresentar o espectáculo no Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, uma vez que o espectáculo teve uma grande recepção na Altice Arena. Um espaço no norte do país seria pouco para acolher tanta gente como se verificou em Lisboa”, para a seguir completar o raciocínio: “Com o 18º aniversário do Multiusos de Guimarães a decorrer, temos a certeza que a aposta está ganha!”, defendeu o promotor.

No que diz respeito a Djavan, trata-se da apresentação ao público português do vigésimo quarto álbum da carreira do artista proveniente de Terras de Vera Cruz. O programa do concerto contempla canções do novo trabalho, o álbum “Vesúvio”, como são os casos de “Solitude”, “Cedo ou Tarde”, bem como o tema homónimo do título do registo. O repertório faz de igual modo uma incursão por músicas que são êxitos na carreira do autor, de entre as quais se contam “Flor de Lis”, “Se…”, “Eu te Devoro” ou Nem Um Dia”.

Sobre a presença do músico brasileiro nesta circunstância de uma tripla visita musical a terras lusitanas, Jorge Veloso defende que “Djavan é uma marca da Vibes & Beats, em 2016 esgotamos as mesmas três salas. Com a saída do novo álbum, ‘Vesúvio’, estamos convictos de termos salas lotadas para este espectáculo de um dos ilustres representantes da música popular brasileira.”

No âmbito desta digressão, Djavan apresenta uma banda composta por velhos companheiros como o guitarrista Torcuato Mariano, os pianistas Paulo Calasans e Renato Fonseca, bem como elementos novos, o baixista Arthur de Palla e o baterista Felipe Alves. O cantor e compositor é quem assina a direcção do espectáculo, que conta com os cenários de Suzane Queiroz, a responsabilidade do projecto de luz é pertence a Binho Schaefer e os figurinos são uma incumbência de Roberta Stamato.

Comentários

comentários

- publicidade -