créditos: Sérgio Claro
- publicidade -

O Festival DDD – Dias da Dança arranca hoje, quinta-feira. São 35 espectáculos que decorrem de 26 de Abril até 13 de Maio e que irão presentear o público do Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia com múltiplas expressões da dança contemporânea espalhadas pelos três municípios: o mesmo é dizer, com uma panóplia de espectáculos marcados pela diversidade desta linguagem artística disponíveis para quem se quiser deslocar aos vários equipamentos culturais existentes nos concelhos referenciados.

Rivoli, Auditório do Campo Alegre, Teatro Nacional São João, Teatro/Palácio do Bolhão, Auditório de Serralves, Mala Voadora na Invicta, bem como o Armazém 22 e o Auditório Municipal em Gaia e o Teatro Constantino Nery em Matosinhos serão os principais palcos onde a iniciativa vai decorrer, isto para além de alguns espaços públicos no exterior das urbes referenciadas.

Para dar a conhecer em ‘três andanças’ (andamentos da dança) o programa do DDD, a organização promoveu o primeiro brunch (também de três) liderado por Tiago Guedes, Director Artístico do Festival DDD – Dias da Dança, destinado a dar a conhecer à imprensa, de forma mais faseada, os espectáculos correspondentes à semana inicial do festival. O Café Rivoli acolheu assim diversos coreógrafos e intérpretes que discorreram sobre a especificidade temática dos respectivos trabalhos.

Marco da Silva Ferreira e o seu espectáculo “Brother”, em registo de reposição, serão responsáveis por abrir a pista de dança, melhor, o linóleo do Auditório Municipal de Gaia, nesta quinta-feira, às 22h00. A peça coreográfica terá direito a repetição no mesmo local, na sexta-feira, dia 27, às 19h00.

Quem vai estar em alta rotação nesta primeira parcela cronológica do DDD será Olga Roriz cuja companhia homónima estreará “A Meio da Noite”, a mais recente criação da coreógrafa estará no estrado do Teatro Nacional São João de sexta-feira a domingo (27 a 29 de Abril), às 22h00, 19h00 e 17horas, respectivamente.

“Sou muito fã do Ingmar Bergman, depois de ser fã deste ‘monstro’ não existe outra razão adicional para o evocar, senão a da efeméride do centenário do seu nascimento que se completa este ano”, revelou aos jornalistas presentes.

Mara Andrade ocupará o espaço da Mala Voadora com “The Lonely Tasks” (inclui Aprés-Midi e The Lonely Dinner), também em estreia, nos dias 28 e 29 de Abril, sábado e domingo, com repetição nos dias 5 e 6 de Maio (ver em https://www.festivalddd.com/ano/2018/).

Luísa Saraiva, outra das artistas presentes, apresentará “Enchente” no Teatro Constantino Nery, em Matosinhos. “A peça ‘Enchente’ é um trabalho para sete intérpretes sobre os comportamentos físicos para pessoas e multidões”, asseverou. A récita única da jovem coreógrafa está marcada para as 19h00 do próximo sábado, dia 28 de Abril.

Neste mesmo dia, embora em local e horário distinto, a marroquina Bouchra Ouizguen mostrará no Grande Auditório do Rivoli (sábado, 28 de Abril às 22h00) uma peça que está a gerar grande expectativa junto do público do DDD “Jerada” é o título do espectáculo. “Jerada” foi gerada por Bouchra ao leme da Carte Blanche, a companhia norueguesa de dança contemporânea que granjeou estatuto não só na nação dos fiordes, mas também no panorama internacional.

Por seu turno, Ligia Lewis a coreógrafa e bailarina nascida na República Dominicana e que muito cedo partiu para os Estados Unidos, vai apresentar um dos espectáculos mais ansiados da edição 2018 “Minor Matter”. Terá lugar no Auditório do Campo Alegre no próximo domingo, dia 29 de Abril, pelas 17h00.

No “Dia do Trabalhador”, 1 de Maio, o feriado contará com um naipe agrupado de vídeos e performances, as “Curtas de Dança” que serão apresentados no Armazém 22, em Gaia, às 19h00 e às 22h00.

De igual modo a laborar em abono da dança nesse mesmo dia estará Carlota Lagido. “Jungle Red” será estreado no Teatro Constantino Nery, em Matosinhos, às 22h00. A artista salienta: “O que é importante neste espectáculo é o seu lado gráfico, o vermelho.” E complementa: “A peça passa por um excesso de linguagem, um excesso poético.”, e remata logo a seguir: “Há também uma ideia de excesso de beleza. A contemplação pode ser um antídoto contra aquilo que estamos a viver.”

A 2 de Maio, Cristina Planas Leitão dará a conhecer Um “Unimal” no Palácio do Bolhão, pelas 19h00. “Delirar a Anatomia: Sonho D’Intestino, Orifice Paradis, Palco”, a criação de Ana Rita Teodoro que será apresentada no Auditório de Serralves nesse mesmo dia, teve direito a algumas palavras explicativas do conceito por parte da responsável por aquele espaço. Cristina Grande enfatizou: “ Ana Rita considera e designa o conjunto destas 3 performances como uma espécie de danças-poema(s).” e de forma adicional, acrescentou: “Há uma relação com a vida que não é só orgânica e interna, mas que se vira para fora. Fala de dentro para fora e de fora para dentro.”

O Global News vai acompanhar um conjunto substancial de espectáculos do DDD e dará nota dos mesmos através de crónicas e relatos de ensaios e dos demais encontros de divulgação do programa através do método brunch: de degustação gastronómica e informativa.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.